14 VERDADES e MENTIRAS sobre o ENEM

14 VERDADES E MENTIRAS SOBRE O ENEM

 1.      Quando não se sabe a resposta, é melhor deixar em brando. MENTIRA

Ao contrário de alguns métodos de avaliação, você não perde pontos se errar a pergunta. Se não souber, chute! A folha de resposta é corrigida por um computador, por isso, deixando em branco, ela é automaticamente considerada errada.

 2.   Questões podem ter valores diferentes. VERDADE

No Enem, as questões têm valores diferentes. Mas o número de pontos de cada uma não é divulgado. Por isso, alguém que acertou o mesmo número de questões do colega pode ter uma nota diferente.

 3.       A nota do Enem pode prejudicar você na hora de ingressar na faculdade. Se achar que ela é muito baixa, não inclua no processo de seleção. MENTIRA.

Algumas universidades combinam a nota do Enem com o resultado do vestibular. É aconselhável sempre informar a nota do Enem durante o processo de seleção, se a instituição permitir. Se a nota do Enem for baixa o suficiente para prejudicar o vestibulando, ela é desconsiderada em algumas instituições.

 4.      Estuda-se para o Enem como se estuda para o vestibular. VERDADE.

O melhor método para se preparar para as provas do Enem é refazendo as questões das provas anteriores para treinar a capacidade de interpretação (algo que exige paciência) e testar seus conhecimentos. Estar sempre atualizado com os acontecimentos e fatos atuais é muito importante. Lembre-se: não basta apenas saber o conteúdo, é necessário conhecer a linguagem da prova. Quanto mais prática a leitura, melhor.

 5.       Não é preciso escolher a instituição e o curso antes de se inscrever no Enem. VERDADE.

Faça o Enem e leve a sério todas as provas, inclusive a redação. O Enem é a forma de você ter vantagens na hora da seleção para o vestibular, por isso mande bem mesmo. Depois que você tiver o resultado da sua nota, é hora de começar a escolher a
universidade. Passada a régua no Enem, mais livre você está de escolher a
faculdade que quiser.

 6. O Enem tem leituras obrigatórias. MENTIRA

Não. Quem tem são só os vestibulares.  

 7.       Preocupe-se apenas em estudar o que vai cair na prova. MENTIRA.

Estude todos os conteúdos! Muitas vezes, uma pergunta sobre determinado assunto se utiliza de outros temas para ser contextualizado. Às vezes, é preciso de conhecimentos a mais para poder resolver uma questão.

 8.       Se a universidade não exigir as cinco provas do Enem em seu processo de seleção de intgresso, não é necessário fazê-las. MENTIRA.

Se a universidade dos seus sonhos não exige o Enem como um dos requisitos para a seleção, muita calma. Você pode precisar do Enem para outras oportunidades, como para garantir uma bolsa de estudos.

9.       O aluno deve fazer a prova no ano em que está formando. MENTIRA.

Não é obrigatório fazer no ano em que se forma, mas é recomendável. Se o aluno optar por adiar a entrada na universidade, pode adiar o Enem. Mas o ideal é fazer no mesmo ano do fim do colégio.

 10.    O Enem substitui o vestibular em algumas universidades. VERDADE.

O Enem substituiu na íntegra o vestibular de algumas universidades. Em algumas instituições, é preciso ter feito as duas provas. A verdade é que cada universidade tem um critério. Informe-se.

 11.    A inscrição para o Enem só pode ser feita online. VERDADE.

Você pode se inscrever e saber mais informações sobre a prova no mec.gov.br.

 12.    Há limite para quantas vezes um aluno pode fazer o Enem. MENTIRA.

Você pode fazer a prova quantas vezes quiser. As instituições sempre contabilizam a nota da última edição, mas isso pode mudar: logo o aluno poderá utilizar a melhor nota e não a última.

 13.    Não há diferença entre o novo e o antigo Enem. MENTIRA.

A versão atual tem objetivo classificar os estudantes por desempenho e ser um instrumento de concurso. As provas anteriores a 2008 tinham o objetivo de diagnosticar a qualidade do Ensino Médio no Brasil e fornecer dados de pesquisa para sustentar
possíveis mudanças no currículo.

 14.    Há diferenças do atual Enem para o vestibular tradicional. VERDADE.

A abrangência, a linguagem e o conteúdo pragmático são diferentes. Enquanto o vestibular é específico para uma instituição, o Enem é um credenciador para o aluno
ingressar em muitas faculdades pelo Brasil afora. Enquanto cada vestibular tem
sua linguagem própria, o Enem tem uma linguagem interdisciplinar, foca em interpretação de textos relacionados ao dia a dia.

Matéria publicada na Revista Galileu.

 

 

 

 

Este post foi postado em Destaque por tucano. Marcador permalink.

About tucano

Marcos das Neves "Tucano". Professor há 42 anos, biólogo, sanitarista, especialista em administração escolar, gestão de conteúdo e logística da informação. Pai de quatro filhos e apaixonado pela esposa, família, educação e tecnologia educacional. Idealizador do Colégio Integrado Jaó, do Método Nintai de Sistematização de Conteúdo e, atualmente, Superintendente Executivo de Educação do Estado de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *