Como se livrar do vício em Internet

Como lutar contra o vício em Internet e retomar o controle de sua atenção

5 Dicas para abandonar o vício em internet e voltar a controlar sua atenção.

Quantas horas por dia você passa respondendo e-mails, checando o Facebook, enviando e lendo Tweets, navegando sem destino por seus sites favoritos e comprando coisas desnecessárias? Quanto tempo, em outras palavras, você passa online, fazendo coisas que não acrescentam muito à sua vida ou à de qualquer outra pessoa? Até demais, imagino.
Isso me passou pela cabeça num domingo, quando acordei, liguei meu laptop e comecei a ler o New York Times. Uma hora e meia depois, eu ainda estava indo de favorito em favorito, vagamente consciente de que haviam outras coisas que eu gostaria de fazer naquele dia, e nada do que eu estava fazendo me nutria tanto. Ainda assim, permaneci colado àquela tela de computador — como um passarinho de boca aberta, esperando ansiosamente para ser alimentado por sua mamãe-passarinha.
“Existem poucas coisas já imaginadas, fumadas ou injetadas que possuam um efeito tão viciante em nosso cérebro quanto a tecnologia”, diz Kelly McGonigal, psicóloga de Stanford, em seu maravilhoso livro The Willpower Instinct.
“O ato definitivo da era da Internet”, ela acrescenta, “é uma metáfora perfeita para a promessa de recompensa. Nós procuramos. E procuramos. E procuramos um pouco mais… clicando no mouse… buscando aquela recompensa ilusória de que uma hora nos sentiremos satisfeitos”.
Ou, como disse o vencedor do Prêmio Nobel Herbert Simon, lá em 1978: “A riqueza de informação cria pobreza de atenção”. E retenção. Absorver bits e bytes de informação é como colocar água em um copo cheio — nesse caso, nossa memória limitada.
Um crescente grupo de pesquisa sugere que até 95% de nossos comportamentos acontecem no piloto automático, por hábito ou em reação à uma demanda ou estímulo externo. Passamos uma quantidade absurda de tempo procurando pela próxima fonte de gratificação instantânea, ao invés de buscar objetivos mais desafiadores que nos agreguem um maior valor a longo prazo e nos dêem mais satisfação.
O negócio aqui não é juntar forças para dizer “não”. Cada vez que negamos intencionalmente algo que desejamos, nós esvaziamos nosso já limitado reservatório de vontade e disciplina. Quando foi a última vez que você resistiu ao sedutor “plim” de um e-mail recebido?
Então como resistir a este impulso Pavloviano? E como, por sua vez, retomar o controle de sua atenção, para que você possa usá-la para fins mais valiosos?
Algumas sugestões:
1. Não caia em tentação. Ao contrário, escolha conscientemente a hora de desligar todos a tecnologia em sua volta. A melhor hora é no começo do dia, quando você possui mais energia. Especificamente, esta é a melhor hora para realizar tarefas importantes e desafiadoras, sem interrupção, de 30 a 90 minutos.
2. Carregue um caderno consigo nos dias úteis. Anote todas as ideias que tiver o mais rápido possível — não só para garantir que você vai lembrar delas mais tarde, mas também para desocupar espaço em sua memória para o que vier em seguida. Você também pode anotar essas ideias em um bloquinho ou no seu smart phone.
3. Entre reuniões e tarefas, reserve um tempo para respirar profundamente. — inspire pelo nariz em três tempos, expire pela boca em seis. Em menos de um minuto, você vai limpar sua corrente sanguínea do cortisol, um hormônio de estresse. Com isso, vai se sentir mais calmo e mais apto a prestar atenção.
4. Tire uma soneca de 15 a 20 minutos entre 13h e 16h. — principalmente nos dias em que você não conseguiu dormir direito e se sente meio arrastado. Mesmo um pequeno cochilo pode melhorar em muito a sua atenção e produtividade pelas próximas horas. (Assumimos, claro, que você consiga fazer isso em acordo com o seu chefe. Explique para ele que isso pode melhorar sua produtividade.)
5. Determine e coloque em sua agenda momentos específicos para refletir criativamente e/ou estrategicamente. Saia da sua mesa e dê uma volta fora do escritório, ou encontre um lugar confortável e relaxante para ficar. Deixe seu telefone longe. A ideia aqui é dar um descanso para o lado esquerdo do seu cérebro. Você saberá que está fazendo a coisa certa quando perder a noção do tempo.

Este post foi postado em Destaque, Educação por tucano. Marcador permalink.

About tucano

Marcos das Neves "Tucano". Professor há 42 anos, biólogo, sanitarista, especialista em administração escolar, gestão de conteúdo e logística da informação. Pai de quatro filhos e apaixonado pela esposa, família, educação e tecnologia educacional. Idealizador do Colégio Integrado Jaó, do Método Nintai de Sistematização de Conteúdo e, atualmente, Superintendente Executivo de Educação do Estado de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *