Curso Superior X Mercado de Trabalho

Mercado de trabalho no Brasil para quem tem ensino superior.
Baseado na reportagem de Érica Fraga na Folha de São Paulo de 08/09/2014.

Quanto ganham os formados no Brasil.

             Segundo o Rais (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério do Trabalho, em 2013 o Brasil teve 48,9 milhões de trabalhadores no mercado formal, esse número inclui tanto os regidos pela CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) quanto servidores públicos com estabilidade (estatutários) e sob regime especial. Desses, 17,8% possuem ensino superior.

            Em 2011, trabalhadores com diploma universitário tinham remuneração, em média, 160% maior do que aqueles com ensino médio, segundo os dados da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Esse “prêmio” salarial (recompensa em termos de renda a mais por formação superior) é o segundo maior em um grupo de 34 países desenvolvidos e emergentes grandes (veja o gráfico).Prêmio por educação superior

            No entanto, segundo o Rais, quase a metade dos trabalhadores com ensino superior que atuam no mercado formal no país, ganhavam, no máximo, quatro salários mínimos em 2013 (R$ 2.712,00),

            A faixa de renda entre dois e três salários mínimos era a que agrupava a maior fatia: 16% do total.

            Apenas 5,3% dos trabalhadores com ensino superior tinham remuneração média superior a 20 salários mínimos (R$ 13.560,00).

            Entre os trabalhadores com mestrado e doutorado, o percentual dos que recebiam o teto de quatro mínimos no ano passado era de, respectivamente, 36% e 23%.

            Segundo especialistas, os dados podem refletir diferenças na qualidade dos cursos de ensino superior já que existe uma grande heterogeneidade.

            Estudos mostram que, nos últimos anos, os salários pagos em carreiras com grande número de formados caíram. É o caso de áreas como enfermagem, administração de empresas e marketing.

            Já carreiras como medicina, engenharias, economia e ciências sociais registraram aumento de salário.

            “Parece existir um efeito de mudanças de demanda e oferta no mercado, mas fatores como diferenças de qualidade de formação também podem influenciar os salários”, afirma o economista Naercio Menezes Filho, do Insper.

            Os dados do Rais, mostram ainda que a parcela de trabalhadores no mercado formal com ensino superior aumentou pouco. Entre 2007 e 2013, passou de 15,2% para 17,8%.

            Os números mostram que uma boa formação superior faz toda a diferença no mercado de trabalho, tanto na facilidade de colocação quanto na remuneração. 

Este post foi postado em Destaque, Educação por tucano. Marcador permalink.

About tucano

Marcos das Neves "Tucano". Professor há 42 anos, biólogo, sanitarista, especialista em administração escolar, gestão de conteúdo e logística da informação. Pai de quatro filhos e apaixonado pela esposa, família, educação e tecnologia educacional. Idealizador do Colégio Integrado Jaó, do Método Nintai de Sistematização de Conteúdo e, atualmente, Superintendente Executivo de Educação do Estado de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *