Educação Financeira – Márcia Dessen

Planejamento bem-feito para atingir seus objetivos

Márcia Dessen – Folha de São Paulo – 28/12/14

Mais um ano termina. É tempo de rever nosso propósito, nossas metas, celebrar as conquistas e pensar nas razões que nos impediram de atingir alguns dos objetivos traçados durante o ano que termina. Fica aquela sensação de que não faltou vontade e até mesmo muito esforço. O que você prometeu e não cumpriu? Já parou para pensar por quê?

Muitas vezes as metas são pouco objetivas e não indicam com clareza como serão atingidas. “Vou emagrecer”, “vou fazer mais exercício físico”, “quero me tornar uma pessoa melhor”, “vou parar de gastar dinheiro com bobagens”. Embora admiráveis, são metas pouco específicas: falta estabelecer objetivamente o que se pretende fazer, como será feito, quando se inicia o plano, quanto e quem, quando a meta envolve outras pessoas.

SONHAR

Sonhar é a parte mais simples do processo, fase de desejar, aspirar, dizer: “Eu quero, eu mereço!”. Mas, se o próximo passo não for dado, tudo não vai passar de um sonho, uma vontade que, apesar do merecimento, não se concretizou. Por que? Porque você não fez acontecer.

REALIZAR

Para realizar nossos sonhos é preciso agir. Não de qualquer jeito, achando que o universo conspira a seu favor e que o que é seu está guardado. Faça o sonho sair do papel, sair da sua cabeça, faça acontecer. E saiba que isso não será possível sem um bom planejamento.

PLANEJAR

Além de determinação, precisamos de dinheiro para realizar nossos sonhos e essa, talvez, seja uma das etapas mais difíceis do processo, uma vez que exige bom planejamento, perseverança e disciplina. Existem técnicas que podem ser adotadas para ajudar você a estabelecer um plano de ação e atingir os objetivos propostos. Ao estabelecer uma meta certifique-se de que ela seja:

Relevante: estabeleça metas que tenham significado para você e seus familiares. Se a meta for realmente importante, vocês terão motivação, força, habilidade e capacidade financeira para alcançá-la. O que os move é a importância dela em suas vidas. O melhor exemplo de meta relevante e engajadora talvez seja: “Realizar o sonho da casa própria”.

Específica: a meta dá clareza ao que se pretende e de onde virão os recursos financeiros para atingi-la: “Comprar um imóvel de R$ 700 mil, preferencialmente em região próxima ao local de trabalho. Acumular dinheiro para uma entrada de 30% do valor do imóvel e assumir financiamento bancário do restante. Utilizar o saldo de R$ 60 mil disponível no FGTS para amortizar parte da dívida”.

Temporal: defina em quanto tempo a meta deve ser atingida para que ela tenha sentido de urgência. Estabeleça data para início e término de cada objetivo. Assim, você se programa mental e operacionalmente para trabalhar em direção a ele: “Acumular, em 60 meses, o valor de R$ 210 mil, quantia suficiente para a entrada do imóvel. Para acelerar o prazo de acumulação, reduzir em 20% as despesas do orçamento doméstico e direcionar boa parte dos recursos excedentes (bônus, 13º, férias etc.) para essa poupança”.

Possível: determine metas elevadas, desafiadoras, porém possíveis de serem cumpridas. Lembre-se de que seu orçamento contempla várias metas e que uma concorre com as outras. Obtenha a concordância de todas as pessoas envolvidas, já que o esforço não será pequeno: “O dinheiro para a entrada, daqui a cinco anos, será alcançado com venda do carro e corte de despesas para gerar capacidade de poupança mensal de R$ 2.000”.

Se você avaliar que não consegue poupar essa quantia regularmente, ajuste seu planejamento aumentando o prazo para a aquisição ou reduzindo o valor do imóvel. Normalmente nosso primeiro imóvel não é do tamanho do nosso sonho, mas é o possível naquele momento. Depois do primeiro, será mais fácil planejar o segundo.

Mensurável: meça com frequência o progresso em relação ao cumprimento de cada meta. O avanço em relação ao que se deseja atingir traz motivação para continuar. Ao definir com clareza quanto e como estão sendo gastas as receitas da família, o orçamento é um grande aliado para executar essa parte do processo.

Além dele, mantenha uma planilha de controle dos investimentos feitos para acumular os recursos financeiros necessários. Escolha o investimento de acordo com o objetivo a ser atingido, respeitando o perfil de risco e horizonte de tempo em que se deseja ter o capital acumulado.

DICAS QUE VALEM DINHEIRO:

1 – Simplifique, descubra que você pode viver bem com menos

2 – Corte hábitos pouco saudáveis e despesas supérfluas

3 – Pare de fazer coisas que não ajudam a construir riqueza e bem-estar

4 – Comece a agir para transformar seus sonhos em realidade

Feliz Ano Novo!

Marcia Dessen, é sócia do BMI (Brazilian Management Institute), diretora do IBCPF (Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros) e autora do livro “Finanças Pessoais: o que fazer com meu dinheiro” (Trevisan Editora, 2014).

Este post foi postado em Destaque, Salada Mista por tucano. Marcador permalink.

About tucano

Marcos das Neves "Tucano". Professor há 42 anos, biólogo, sanitarista, especialista em administração escolar, gestão de conteúdo e logística da informação. Pai de quatro filhos e apaixonado pela esposa, família, educação e tecnologia educacional. Idealizador do Colégio Integrado Jaó, do Método Nintai de Sistematização de Conteúdo e, atualmente, Superintendente Executivo de Educação do Estado de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *